Na sequência do blog surgir nos destaques do Sapo e dos blogs Sapo tentarei, enquanto tal acontece, deixar uma breve síntese sobre os temas que tem focado e que no fundo são uma imagem particular da aldeia e da região. Acredito que muitos dos visitantes conheçam o nosso concelho por motivos adversos, só para citar alguns exemplos: a luta com Canas de Senhorim (sem querer ofender ninguém com o termo adversos); a radioactividade nas e proveniente das minas da Urgeiriça; a luta política local, os incêndios florestais, sendo a floresta apenas uma miragem em muitos locais... 

Do lado positivo, porventura outros associam o concelho ao Vinho do Dão, ao Dão e ao Mondego (como paisagem, pois a poluição é invisivel) e muito ao facto de ser o planalto que enche a vista, com a Serra da Estrela ali bem perto e o Caramulo também a dois passos. Sem dúvida que neste contexto o turismo é uma actividade com enorme potencial, aliás com tradição, é preciso não esquecer o complexo termal das Caldas da Felgueira, com um conjunto de infra-estruturas hoteleiras de grande qualidade (por exemplo, o Grande Hotel e a Pensão Maial, sem querer deixar ninguém de fora mas são as unidades com maior tradição), e mesmo o Hotel da Urgeiriça.

A agricultura actualmente é apenas praticada aos fim-de-semana e fim de tarde, são poucos os que se dedicam a tempo inteiro, nem mesmo os mais velhos. Esse abandono dos campos creio que teve dois momentos fundamentais: o movimento migratório em direcção sobretudo a França, muitos no sentido de evitarem ir para a guerra em África; e a instalação nas últimas décadas de indústrias no concelho.

O concelho tem aspectos que na minha opinião merecem destaque, para além dos anterioremente referidos. Durante vários anos, com o recurso à imagem, tenho destacado alguns desses aspectos.

 

 

Para já, para quem não sabe onde se situa, deixo um pequeno mapa. Como se pode ver o nosso Folhadal fica mesmo ali no dito Coração do Dão, a uns escassos 2 km da vila de Nelas. Bem, na verdade a uns escassos metros se juntar os agregados urbanos, mas se pensar no percurso que vai do Cruzeiro à Escola Secudária/Igreja são sensivelmente os tais 2km.

publicado por José às 18:14