A 16.ª edição da Feira do Vinho do Dão, que se realizará nos dias 7, 8 e 9 na praça do Município, será este ano marcada por uma verdadeira situação de calamidade pública quanto à produção de vinho no concelho e na região. Reflexo ou não das alterações climáticas ou apenas de um ano menos bom, as nossas videiras estão literalmente sem uvas, dado que constitui uma enorme perda para os vitivinicultores e para o concelho, pois não poderá apresentar o seu ícone a quem o visita ou vendê-lo fora do seu espaço geográfico.
O problema agrava-se para os pequenos proprietários que este ano deveriam começar a segmentar as suas uvas. Mas para os vitivinicultores com adega e produto de marca a situação deverá ser também de calamidade, até porque muitos deles investiram nos últimos anos no sector, sendo natural que queiram recuperar esse investimento, vindo-se impossibilitados pela ausência de produção. Creio mesmo que os poderes públicos deveriam fazer em tempo útil o balanço da tragédia e ajudar da melhor forma possível.
publicado por José às 21:32