Porque a vida continua e importa dar lugar a coisas boas que ainda temos venho deixar umas breves palavras, curiosamente também elas em lista de espera. Venho agora falar um pouco dos nossos rios, ou pelo menos tenho essa intenção, pois numa região situada literalmente entre rios é pouca a informação existente. Eventualmente existe alguma informação dos planos de bacia hidrográfica, todavia não foi confirmar, pois não é esse aspecto que objectivamente me interessa. O que me interessa é a nossa relação com os rios e ribeiros que nos circundam, uma relação que deveria ser de conhecimento mutuo mas é, infelizmente acredito que assim seja, uma relação em que ninguém conhece ninguém.
Ainda lembro um pouco o papel dos guarda-rios e o respeito e conhecimento que os nossos antepassados tinham pelos rios e ribeiros. Agora, embora teimem em dizer que é progresso, vivemos à margem, mas sem conhecer sequer as margens (passo o trocadilho). Curiosamente informação e projectos interessantes não parecem faltar, aliás é por ter conhecimento de um desses projectos. Na semana após a apresentação pública do Ecoline assisti na instituição onde trabalho a uma apresentação do projecto rios e fiquei impressionado. Sendo um projecto dirigido às escolas creio que tem tudo para motivar os alunos por saber mais sobre as linhas de água que atravessam a sua região, ficando a saber um pouco mais sobre a fauna e a flora, bem como o próprio rio no trecho escolhido.

Creio que é uma ideia a seguir, tanto por iniciativa dos professores, como de outras entidades . Por exemplo, com tanto pescador desportivo seria giro a organizarem uma pescaria apenas para darem a conhecer, por exemplo o Mondego, às nossas crianças. Acredito que muitos destes pescadores têm muito para ensinar, do que conhecem em termos de parâmetros físicos, mas também no respeito que têm pelo rio. Fica a sugestão, sendo que se trata de uma iniciativa praticamente sem custos, apenas vontade das partes.

Nota: poderia deixar apenas um link sobre o projecto rios, todavia se fizerem uma pesquisa encontram vários exemplos.
publicado por José às 21:16