Como alguns sabem este é um momento com outras prioridades, todavia, mesmo que 3 dias depois, não deixo de vir assinalar a comemoração no dia 7 de Abril do Dia Nacional dos Moinhos, iniciativa sobre a qual podem encontrar mais informação no seguinte site:

www.moinhosdeportugal.org

O moinho existente muito perto das Caldas da Felgueira tem sido ao longo já de vários anos uma prioridade nos meus alertas, todavia permanece em estado de abandono, quando poderia ser valorizado. 

Numa localidade onde o turismo é a actividade principal, aliás, praticamente exclusiva, é lamentável que a visão sobre o turismo, no caso sobre o termalismo, permaneça centrada apenas num único produto a oferecer aos turistas - as Termas. 

Com tanto para oferecer em termos de património construído e em termos de património natural falta-nos iniciativa. Seria importante para o concelho e para a região aproveitar o que de melhor temos, não a floresta, pois essa ardeu e dificilmente se volta a erguer nos próximos anos, apesar das incorrecções da publicidade. O que de melhor temos é tudo isto: neste caso os moinhos, mas também as tradições, pois são mais do que meras mós sobrepostas. Já falei do nosso vinho, tão mal aproveitado como produto turístico . A lista é infindável, relembro apenas que o Folhadal já teve um moleiro, infelizmente perdeu-se uma herança que poderia ficar para os vindouros, uma vez que nada foi feito.

Seria de todo interesse recuperar-se algum deste património , pelo menos o necessário a se conseguir estabelecer um mini-roteiro do património local, depois, progressivamente, deveria recuperar-se mais e mais património. Com o QREN quase a trazer dinheiros de Bruxelas deveríamos pensar em conjunto na elaboração de uma plano capaz de promover essa recuperação, seria bem mais interessante do que debater as tricas locais ou o avolumar dos enteados e dos afilhados.

Infelizmente a nossa memória é muito curta e deambula de acordo com o momento, pois, para os poucos que se lembram, era nestes moinhos que os moleiros moíam a farinha que depois seria o nosso pão, mais tarde haveriam de surgir os moinhos eléctricos.

 

P.S. As fotos não são de agora mas o problema é actual - o esquecimento.

publicado por José às 16:32