De regresso ao olhar dos visitantes do blog uso imagens praticamente acabadas de recolher. Curiosamente, estas imagens têm algo de paradoxal, por um lado podem expressar um trecho da paisagem muito bonito, mas por outro lado são expressão de um grave problema - os incêndios registados durante os últimos anos deixaram o que outrora era pinhal neste estado, apenas com pedras nuas.
Poderia apresentar números, tentar perceber e explicar o que se perdeu, assim como o historial, quer do processo de florestação da zona, quer dos sucessivos incêndios. Todavia, penso que as imagens são suficientes para reactivar a memória colectiva, para permitir a cada um recordar que nem sempre foi assim e que existem outros "caminhos", basta que exista interesse por parte de cada um e por parte dos poderes públicos.



Deixo o exemplo da encosta que desce o Picoto, via Buraco da lendária Moira até à designada estrada da Ribeira, que na verdade corresponde à estrada que permite ir e vir de Nelas a Seia, com o Mondego bem perto.



Ou por causa do frio de mais um Inverno ou por causa das chamas de muitos Verões as pedras parecem largar lágrimas, mesmo assim não são escutadas, rendilham a paisagem num silêncio apenas interrompido pela objectiva, em que o único "verde" é o de uma viatura ao longe.


publicado por José às 18:54