Do último artigo que escrevi para o Planalto fazia parte uma caixa sobre a permuta que levou ao corte sem sentido dos pinheiros da Mata do General, não questiono os critérios editoriais, seja como for a população tem o direito de estar informada. Além do mais penso não ter dito nada indecente, sei bem qual o meu lugar. Fica o registo:


" O negócio da Mata do General

Quando se pensava que o derrube dos pinheiros da Mata do General se ficava a dever à construção da avenida eis um dado novo, que o rasgar da avenida expôs, a Mata serviu apenas como moeda de troca do terreno vizinho. Num negócio em que autarquia se deu ao luxo de ser ela própria a vender publicamente os pinheiros, facto que pode no futuro permitir que o local seja desclassificado de zona verde. É uma VERGONHA Sr. Presidente. Deveria ter o bom senso de pedir desculpas públicas às populações, pois fez tudo sem as consultar e sem respeitar os seus anseios.
Tão grave com o processo presente é a incerteza do futuro, sobre o qual várias questões surgem. Como se vai repercutir esse negócio no PDM? Será que a outrora zona verde vai dar lugar a uma zona urbanizável? Uma coisa devemos garantir, como cidadãos, vamos ficar alerta. Terá de haver maneira de travar a mais que provável urbanização daquele terreno nos próximos anos".


048_25A.JPG



José Gomes Ferreira
publicado por José às 13:58