DSC03166.JPG
Agora que a ETAR está construída e brevemente pronta a funcionar será tarde de mais para se levar as mãos à cabeça, a seu tempo alertei para a necessidade da ETAR ser afastada cerca de 500 metros, mas nem os poderes públicos se interessaram, nem as populações.
DSC03164.JPG
Ninguém de bom senso é contra a ETAR, todavia o processo não foi nada participativo, foi uma decisão unilateral, uma imposição que resultará na destruição de uma herança de gerações.
DSC03162.JPG
Outrora a água límpida que aqui corria servia para as pessoas lavarem a roupa, servia todos os anos para as mulheres irem lá lavar as tripas, após o ritual comunitário da matança do porco, servia, igualmente ou sobretudo, para regar os lameiros. Estas pedras contam histórias de vida, não são brasões, nem achados arqueológicos, contudos representam o suor deste povo na sua labuta diária e o seu sentido de comunidade.
É certo que a água vai continuar a correr, certamente mesmo não irá faltar, contudo não é essa água que se deseja para o local.
publicado por José às 10:01