Folhadal, 12 de Novembro de 2005

Assunto : Esta ETAR que não queremos

Ex.ma Sra. Dr.ª Isaura Pedro

Começo por felicitá-la pelo novo desafio, no que aproveito para lhe desejar todo o sucesso.
De seguida remeto-lhe um problema herdado da anterior liderança autárquica: resultante, por um lado, de uma decisão unilateral sem o mínimo esclarecimento das populações; por outro lado, da passividade das populações, que apesar de avisadas não manifestarem sequer o ensejo de expressarem a sua opinião. Deixando de lado essa ou outra qualquer procura de culpados importa ver o presente e discutir a procura de alternativas.
Como pode Vossa Excelência facilmente perceber refiro-me à construção da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) do Folhadal. Ao que parece em vias de brevemente estar a funcionar, sem que se conheçam os seus efeitos sobre o ribeiro onde foi literalmente construída e sem que se saiba se irá ou não fazer apenas o tratamento primário dos esgotos, o que a acontecer aumentaria a dimensão do problema.
A seu tempo defendi a deslocação desta infra-estrutura para um ponto mais abaixo do ribeiro, como se trata de uma mais valia para a aldeia cheguei mesmo a sugerir um eventual peditório para pagar o acréscimo de despesas, caso a autarquia não tivesse meios para as assumir. A proposta da altura tinha presente a defesa de um importante trecho do ribeiro, que muito diz às gentes do Folhadal, assim, com a não deslocação da ETAR, vamos perder um pouco da nossa história. Aqui recordo que a nossa história não tem sido feita apenas de pessoas e dos seus feitos nobres, tem sido feita, igualmente, de lugares simples onde gentes simples partilharam e continuam a partilhar o seu suor na labuta diária. E é, precisamente, parte desse esforço colectivo que se perde ou fica inutilizado com a ETAR. Para o futuro apenas ficam as vistas.
Apesar da obra já estar feita, venho através desta minha breve exposição solicitar a intervenção de Vossa Excelência no processo, contando que ainda é possível encontrar uma solução de compromisso, que satisfaça as partes e respeite a herança que nos foi legada pelos nossos antepassados.

Agradeço antecipadamente todos os seus esforços
José Gomes Ferreira
publicado por José às 09:12